sexta-feira, agosto 15

the strain, além da estreia


da série “quando a adaptação é muito melhor que o livro”.

já foram exibidos quatro episódios da série the strain, versão pra tevê dos livros da trilogia da escuridão, escrita pelo guillermo del toro e chuck hogan. essa adaptação está se saindo muito superior aos livros [noturno, a queda e noite eterna]. o motivo: guillermo del toro está diretamente envolvido com a versão filmada.

no caso dos livros, acho que já escrevi aqui e disse acolá que o primeiro é muito bom, o segundo é ok e o terceiro, meldels, não desocupa a moita. dá pra ler pulando uns capítulos sem remorso algum [aliás, fica a dica].

acho que isso confirma que guillermo del toro tem a vocação para a linguagem audiovisual. e não há nada errado nisso. provavelmente ele teve a mesma sensação ao escrever que eu tive ao ler: essa história daria um roteiro interessante.

o enredo: um avião pousa nos estados unidos vindo da alemanha e, ainda taxiando, fica inteiro apagado e totalmente offline. as autoridades desconfiam, claro, de um ataque terrorista, mas alguns especialistas do centro de controle de doenças [cdc] desconfiam de alguma ameaça biológica. dito e feito: quase todos os passageiros estão mortos e os outros sobreviventes começam a apresentar sintomas de uma "gripe vampírica".

os efeitos especiais, a produção [imagine recriar corpos em decomposição!], o ritmo destes primeiros episódios... tudo isso é bem feito em the strain. a própria figura do mestre [um dos primeiros vampiros da história], pouco revelada neste começo, foi um acerto.

the strain prova que nem sempre o livro é melhor, e que guillermo del toro é melhor aqui do que ali. ainda assim, grande parte do mérito é dele.

recomendo super.

Nenhum comentário: